Desde 1997, a discussão sobre o fim da reeleição para cargos no Executivo tem sido uma constante no Congresso Nacional, com pelo menos 57 propostas apresentadas. Esse levantamento abrange iniciativas tanto na Câmara quanto no Senado, indicando a diversidade de abordagens sobre o tema. Cerca de metade dessas propostas (49%) também aborda a possibilidade de ampliar o tempo de mandato de 4 para 5 anos.

A introdução da reeleição foi viabilizada pela Emenda Constitucional 16, aprovada em 1997, possibilitando a recondução de presidentes, governadores e prefeitos. Desde então, o debate sobre essa questão persiste, refletindo diferentes visões sobre a dinâmica política no Brasil.

O atual presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, manifesta apoio à extinção da reeleição, considerando o tema uma prioridade em seu último ano no comando da Casa. O senador Marcelo Castro, relator do projeto do novo Código Eleitoral, está envolvido na articulação de uma proposta que não apenas encerraria a reeleição, mas também prolongaria os mandatos para cinco anos, tanto para presidente, governador, prefeito quanto vereador, enquanto senadores teriam mandatos de dez anos.

O cenário político em torno desse assunto continua a evoluir, destacando-se a complexidade de sua discussão em um ano eleitoral. Apesar do respaldo de Pacheco, a aceitação dessa proposta na Câmara, presidida por Arthur Lira, parece enfrentar resistência, o que adiciona um elemento de incerteza ao destino da questão da reeleição no Executivo.

O levantamento considerou propostas apresentadas desde 1997, não contemplando iniciativas anteriores, e excluiu propostas que permitem reeleição limitada a um mandato subsequente ou que autorizam a recondução mediante afastamento prévio do ocupante do cargo.

O debate em torno do fim da reeleição reflete uma dinâmica política marcada por diferentes perspectivas e se intensifica especialmente próximo a anos eleitorais. O contexto de 2007, por exemplo, envolveu discussões sobre tanto o fim da reeleição quanto a possível recondução de Lula para um terceiro mandato consecutivo, mas as propostas não avançaram substancialmente no Congresso.

A complexidade do tema, a resistência na Câmara e a necessidade de um amplo apoio no Senado destacam a delicadeza do processo de tomada de decisão em relação à reeleição no Brasil. O desfecho permanece incerto, e a proposta de Marcelo Castro é apenas uma das muitas tentativas ao longo dos anos para reformar essa parte do sistema político brasileiro.

Fonte: CNN

Compartilhar: