As primeiras audiências de instrução do caso Hospital Padre Zé, em João Pessoa, foram agendadas para o próximo mês de maio pela Justiça da Paraíba. O ex-diretor Padre Egídio e as ex-funcionárias Jannyne Dantas e Amanda Duarte, principais investigados por desvios de recursos e doações da instituição de saúde, estarão sob escrutínio, atualmente detidos.

A audiência relacionada à Operação Indignos, que revelou o esquema de corrupção na gestão do hospital, ocorrerá em 20 de maio, no Fórum Criminal de João Pessoa. A modalidade da audiência, seja presencial ou semipresencial, será determinada pelas partes envolvidas.

Já em 27 de maio, Padre Egídio enfrentará a Justiça para esclarecer supostas fraudes na compra de computadores. Amanda Duarte e um empresário também serão interrogados, suspeitos de desvio de recursos públicos destinados à aquisição desses equipamentos.

A Justiça limitou a 16 o número de testemunhas, reduzindo significativamente o montante inicial indicado pela defesa dos acusados, que previa a oitiva de 35 pessoas durante a audiência de instrução.

Enquanto isso, Padre Egídio teve seis pedidos de Habeas Corpus negados. Os recursos, direcionados a instâncias superiores, foram indeferidos, mantendo-o sob custódia. A mais recente recusa ocorreu nesta segunda semana de abril, quando o juiz da Sexta Turma do STJ rejeitou pela quinta vez o pedido de liberdade para Padre Egídio.

Compartilhar: