DestaqueInternacional

Não é só com o Brasil: Conheça outros conflitos internacionais de Elon Musk

A recente contenda entre Elon Musk, proprietário do X (anteriormente conhecido como Twitter), e o sistema judiciário brasileiro, em particular com o ministro Alexandre de Moraes do Supremo Tribunal Federal (STF), tem ocupado manchetes nos últimos dias. No entanto, a lista de conflitos e polêmicas envolvendo Musk e suas empresas, tanto dentro quanto fora dos Estados Unidos, é extensa.

A imprensa internacional tem questionado se as recentes postagens do bilionário podem influenciar e acelerar a regulamentação das mídias sociais no Brasil. Mas além dessas questões, há uma série de outros confrontos que envolveram Musk e suas empresas em contextos internacionais.

União Europeia: Investigações sobre o X e Críticas à Suspensão de Contas de Jornalistas


A União Europeia anunciou uma investigação sobre a rede social X, de Musk, em 2023, para apurar a suposta propagação de conteúdos terroristas, violentos e de discurso de ódio, após o ataque do Hamas a Israel. Em dezembro do mesmo ano, formalizou-se a suspeita de violação das regras da UE pelo X, incluindo áreas como combate ao conteúdo ilegal e à desinformação. Musk também enfrentou críticas por banir contas de jornalistas na plataforma, o que resultou em ameaças de sanções por parte da UE e da ONU.

Ucrânia e o ‘Plano de Paz’ de Musk


Em outubro de 2022, Musk sugeriu um “plano de paz” para o conflito entre Rússia e Ucrânia, por meio de uma enquete no Twitter, o que gerou indignação por parte das autoridades ucranianas. A postagem levou o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, a lançar uma enquete perguntando aos seguidores qual versão de Musk eles preferiam: a que apoia a Ucrânia ou a que apoia a Rússia.

Delaware (EUA) e a Guerra de Musk


Elon Musk entrou em conflito com o estado americano de Delaware, criticando suas práticas empresariais e movendo suas empresas para outros estados, como Nevada e Texas. A disputa começou após uma decisão judicial anular um pacote salarial de US$ 56 bilhões destinado a Musk, levando-o a incentivar outras empresas a não se estabelecerem em Delaware.

Bolívia: ‘Daremos golpe em quem quisermos’


Em 2020, Musk causou controvérsia ao comentar sobre a política externa dos EUA em relação à Bolívia, gerando reações adversas ao afirmar que “daremos golpe em quem quisermos”. Suas palavras foram interpretadas como apoio a ações intervencionistas do governo dos EUA na Bolívia.

Esses conflitos internacionais evidenciam a influência e a controvérsia que cercam Elon Musk e suas empresas em um contexto global.

Fonte: Artigo adaptado de BBC News Brasil.

Compartilhar: