Tecnologia

A crescente presença da inteligência artificial na vida cotidiana

Há alguns anos, a ideia de inteligência artificial (IA) parecia algo saído de um filme de ficção científica. No entanto, nos últimos tempos, essa tecnologia vem se tornando cada vez mais parte integrante da vida das pessoas. Isso se deve a dois principais motivos: em primeiro lugar, a IA está se tornando mais poderosa com o tempo, pois é uma inovação que pode aprender com seus próprios resultados. Em segundo lugar, esses sistemas estão se tornando cada vez mais acessíveis, não exigindo conhecimento técnico. Um exemplo disso é o ChatGPT, capaz de criar ou traduzir textos a partir de instruções simples, o que gerou um grande aumento no uso de IA em todo o mundo desde seu lançamento em 2022 pela startup OpenAI.

“Com o ChatGPT, a IA deixou de ser algo restrito a especialistas e passou a ser acessível para todos. Hoje em dia, ninguém precisa mais ser programador ou ter um conhecimento profundo desse universo para usar IA: basta acessar um site e começar a conversar com a ferramenta”, analisa Edney Souza, professor da ESPM e membro do Board de AI da Samsung Brasil. E, para aqueles que acham que esse avanço já é significativo, é importante ressaltar que a próxima fronteira para a tecnologia está nas mãos de cada pessoa, com a chegada de serviços e ferramentas cada vez mais inteligentes e simples aos smartphones.

Esses sistemas têm a capacidade de prever as necessidades do usuário e facilitar tarefas como edição de imagens, tradução de textos ou até transcrição de conversas longas, como reuniões corporativas. “Nos próximos tempos, todo mundo terá um celular com inteligência artificial embutida”, projeta Souza. Um primeiro passo nessa direção foi dado pela Samsung com o Galaxy AI, sistema que a empresa vem desenvolvendo há mais de uma década e que já está presente em seus aparelhos premium, como o Galaxy S24.

Embora a inteligência artificial não seja algo novo, sua presença vem se tornando cada vez mais comum ao longo das décadas. Os primeiros sistemas que utilizaram esse conceito surgiram na década de 1940, durante a Segunda Guerra Mundial, quando Alan Turing conseguiu quebrar o código da Enigma usando uma versão rudimentar dessa tecnologia. “Era uma máquina capaz de transformar um tipo de texto em outro de maneira automática, usando um raciocínio semelhante ao que o ChatGPT faz hoje em dia”, comenta o especialista.

Nos dias de hoje, a inteligência artificial está presente em diversas tarefas cotidianas, como o cálculo de rotas em aplicativos de transporte, previsão de palavras em teclados de celulares e recomendação de filmes e séries em plataformas de streaming. Todos esses sistemas reconhecem padrões e oferecem respostas com base nos dados disponíveis. Um fator crucial para o funcionamento desses sistemas é o tamanho da base de dados em que eles se baseiam. Por exemplo, enquanto o teclado preditivo de um celular utiliza dados digitados por um usuário específico, o ChatGPT trabalha com uma vasta quantidade de parâmetros para responder a qualquer pergunta ou solicitação feita em seu site.

Na visão de Souza, o Galaxy AI da Samsung representa um avanço significativo nessa capacidade. Além de ter sido desenvolvido por uma gigante da indústria de celulares, o sistema está integrado ao sistema operacional dos smartphones da empresa, eliminando a necessidade de acessar aplicativos adicionais. Para realizar tarefas como remover uma pessoa de uma foto ou fazer anotações em uma reunião, basta alguns cliques. “Além de ser mais fácil, isso libera as pessoas para terem mais tempo e serem mais produtivas e atenciosas”, diz o especialista. “É um avanço tecnológico que vai mudar radicalmente nossos hábitos diários.”

Para experimentar essa novidade, basta conhecer os novos modelos de smartphones da Samsung, como o Samsung Galaxy S24, que já vem com o Galaxy AI integrado. Durante o mês de abril, outros dispositivos da marca, como os da série Galaxy S23 e os smartphones dobráveis Z Flip 5 e Z Fold 5, também receberam a atualização do sistema, oferecendo funcionalidades de inteligência artificial pioneiras no mercado brasileiro. O futuro da tecnologia está literalmente na palma das mãos.

Compartilhar: