BRBrasilDestaquePolítica

Eduardo Bolsonaro comete grave ato falho e revela esquema de aliados

O parlamentar esteve no ato organizado pelo seu pai, o ex-presidente Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro

A praia de Copacabana, no Rio, foi palco neste domingo (21) de mais um ato organizado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), que busca intimidar instituições e obter anistia para todos os que participaram da tentativa de golpe de Estado.

No entanto, o número de participantes na manifestação deste domingo foi muito aquém do que os organizadores esperavam. Bolsonaro e seus aliados acreditavam que iriam repetir o número da manifestação realizada em fevereiro na cidade de São Paulo, que reuniu 180 mil pessoas.

De acordo com dados do Monitor USP, cerca de 32 mil pessoas compareceram ao ato deste domingo na praia de Copacabana.

Quem marcou presença na manifestação foi o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), o filho 02 do ex-presidente Jair Bolsonaro, que cometeu um grave ato falho em uma publicação nas redes sociais ao lado de figuras como Nikolas Ferreira (PL-MG), Gustavo Gayer (PL-MG) e Bia Kicis (PL-DF).

Ao compartilhar uma imagem com os amigos parlamentares, Eduardo Bolsonaro revelou o que motiva o seu trabalho, mas também o dos outros deputados na foto: ser sustentado pelo dinheiro público. Bem, pelo menos é isso que ele entrega na legenda da foto: “Com vocês nos sustentando, nós nunca desistiremos”, escreveu Eduardo Bolsonaro.

Lindbergh Farias defende prisão de Bolsonaro: “tentativa de golpe permanente”
 

O deputado federal Lindbergh Farias (PT-RJ) usou as redes sociais para defender a prisão preventiva do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). A declaração de Farias se dá após uma análise dos discursos realizados no ato deste domingo (21) em Copacabana, no Rio.

Segundo o deputado, Bolsonaro usou Malafaia para atacar as instituições democráticas, o STF e o ministro Alexandre de Moraes. “Impressionante como esse Bolsonaro é covarde […] não teve coragem de falar do Alexandre de Moraes, ele terceirizou tudo pro Malafaia. Ficou falando só besteira, fake news […] esse pessoal continua tentando dar golpe: foi um ataque ao Supremo, ao Senado […] a tentativa de golpe é permanente […] um festival de discursos da extrema direita contra a democracia brasileira”, disse Lindbergh.

Em seguida, Lindbergh Farias afirma que o ato deste domingo mostra que o golpismo segue em curso. “Este ato de hoje mostra que eles vão continuar criando um clima para intimidar o Supremo e impedir uma investigação livre. Isso é motivo de prisão preventiva […] eu acho que, se não deterem Bolsonaro eles vão continuar o tempo inteiro nessa narrativa e nesse ataque à democracia”, disse.

Gleisi detona discurso de Bolsonaro: “ladrão e inelegível” 

A presidente nacional do PT e deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR) também usou as redes sociais para responder ao discurso do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), realizado neste domingo.

Em sua publicação, Gleisi Hoffmann rebateu o vitimismo de Bolsonaro em seu discurso e o lembrou que ele responde por alguns inquéritos. “Quem responde a inquérito, com provas materiais e testemunhos claros, por ser LADRÃO de joias que pertencem ao povo brasileiro é VOCÊ, inelegível. Assim como responde por fraude e conspiração para ROUBAR o resultado da eleição. Você foi declarado inelegível porque violou a lei e apostou que ficaria impune”, disparou Gleisi.

Em seguida, Gleisi Hoffmann afirma que o ex-presidente construiu sua trajetória na “mentira”. “A palavra ‘mito’ tem muitos significados e sinônimos. O que melhor se encaixa na personalidade e na trajetória de Jair Bolsonaro é o mais simples de todos: mentira”, disse.

Fonte: Revista Fórum, reprodução

Compartilhar: