InternacionalPolítica

Netanyahu convidou Bolsonaro para ir a Israel uma semana após declarar Lula ‘persona non grata’

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, estendeu um convite ao ex-presidente Jair Bolsonaro para visitar Israel, apenas uma semana após ter declarado o atual presidente brasileiro, Lula, como ‘persona non grata’. O convite foi formalizado por meio de uma carta datada em 26 de fevereiro de 2024. A declaração de ‘persona non grata’ em relação a Lula ocorreu em 19 de fevereiro, depois de suas observações que equipararam as ações de Israel na Faixa de Gaza ao genocídio de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

Na correspondência, Netanyahu expressa sua gratidão pelo “firme apoio de Bolsonaro a Israel em fóruns internacionais”. Ele também lembra com carinho sua visita ao Brasil durante o mandato de Bolsonaro como presidente, destacando o fortalecimento das relações bilaterais entre os dois países.

O convite a Bolsonaro ocorreu pouco tempo depois de ele solicitar a devolução de seu passaporte, que havia sido retido por ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, em 9 de fevereiro. Em 25 de fevereiro, Bolsonaro participou de um evento em São Paulo, onde discursou em um trio elétrico, exibindo a bandeira de Israel, gesto que não passou despercebido por Netanyahu.

Essa não foi a primeira vez que Bolsonaro manifestou apoio a Israel. Ele já havia publicado um vídeo antigo defendendo a autonomia do país durante uma entrevista e expressou o desejo de mudar a embaixada brasileira para Jerusalém. Embora tenha mencionado essa intenção em novembro de 2018, ele posteriormente afirmou que a decisão ainda não havia sido tomada.

A mudança da embaixada brasileira para Jerusalém, atualmente sediada em Tel Aviv, poderia gerar controvérsias e constrangimentos diplomáticos, especialmente em relação às reivindicações territoriais em Jerusalém.

Por outro lado, a declaração de ‘persona non grata’ em relação a Lula foi uma resposta imediata das autoridades israelenses às suas declarações controversas. Mais de 30 mil pessoas já haviam perdido a vida no conflito entre Israel e Hamas, que começou em outubro de 2023.

O termo ‘persona non grata’ é um dispositivo legal utilizado em relações internacionais para indicar a indesejabilidade de um representante estrangeiro. O ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, condenou veementemente as declarações de Lula, considerando-as um ataque antissemita que desrespeita a memória do Holocausto.

Na carta, Netanyahu expressa seu agradecimento pelo “firme apoio de Bolsonaro a Israel em fóruns internacionais”.

Carta de Netanyahu a Bolsonaro
Prezado sr. Bolsonaro,
Espero que esta carta o encontre bem. Gostaria de expressar meu apreço pelo seu contínuo e veemente apoio ao Estado de Israel.
Ontem, você demonstrou sua solidariedade com o povo e o Estado de Israel, orgulhosamente empunhando a bandeira de Israel em um comício em São Paulo. Isso foi uma clara e moralmente sólida rejeição às acusações ultrajantes do seu sucessor contra as operações das Forças de Defesa de Israel em Gaza.
Durante o seu mandato como Presidente do Brasil, as relações entre nossos dois países atingiram novos patamares. Guardo lembranças muito queridas da minha viagem ao Brasil e gostei muito de me encontrar com você.
Sua verdadeira amizade para com Israel foi firmemente expressa ao longo de seu mandato, tanto em palavras quanto em ações, incluindo seu apoio inabalável a Israel em arenas internacionais. Sua amizade é ainda mais importante durante tempos de crise e guerra, e por isso convido você e sua família a visitar Israel para demonstrar sua solidariedade com o povo de Israel.
Espero vê-lo em breve.

Compartilhar: