DestaqueEconomia

Starlink, de Elon Musk, oferece redução de 50% nos custos de acesso à internet via satélite no Brasil

A Starlink, empresa pertencente ao magnata Elon Musk e especializada na prestação de serviços de internet via satélite, lançou uma promoção significativa para os clientes brasileiros. Iniciada em 5 de abril, a oferta contempla uma redução de 50% no preço do kit de instalação da empresa. Os assinantes poderão usufruir desse desconto até o final de abril, pagando uma mensalidade de apenas R$ 184, sem a inclusão de impostos.

A iniciativa da Starlink ocorre em meio a um ambiente de crescente tensão entre Musk e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. O empresário desafiou publicamente as restrições impostas pelo bloqueio de contas investigadas na plataforma de sua propriedade, o que resultou na inclusão de seu nome no inquérito das milícias digitais conduzido pelo ministro.

De acordo com uma análise realizada pela BBC News Brasil, a Starlink detém a liderança no mercado de internet via satélite no Brasil, especialmente em áreas remotas, como os Estados da Amazônia Legal. Até julho do ano passado, aproximadamente 90% das cidades nessa região dependiam dos serviços de banda larga fixa por satélite oferecidos pela empresa de Musk.

Além disso, o ministro Moraes decidiu investigar a conduta de Elon Musk, buscando averiguar possíveis crimes, como obstrução à Justiça, organização criminosa e incitação ao crime. A tensão entre os dois indivíduos aumentou consideravelmente com os comentários críticos feitos pelo empresário em relação às ações e decisões do ministro.

No entanto, o embate entre Musk e Moraes não é o único episódio que envolve o empresário e o Brasil. Recentemente, o jornalista norte-americano Michael Shellenberger divulgou uma série de e-mails que expõem solicitações e ordens judiciais recebidas pelo Twitter, plataforma de propriedade de Musk, relacionadas a conteúdos de usuários brasileiros. Esse caso, batizado de “Twitter Files Brazil”, tem gerado grande repercussão e reascendido o debate sobre liberdade de expressão e o papel das redes sociais na democracia.

Fonte: Poder360, adaptação

Compartilhar: