Economia

Fernando Haddad espera acordo do G20 até novembro para tributar os super-ricos

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, expressou otimismo em relação a um possível acordo do G20 sobre a taxação dos super-ricos até novembro deste ano. Durante uma coletiva de imprensa ao lado do ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, Haddad ressaltou a importância da coordenação internacional nesse processo, enfatizando que a taxação por apenas um país seria ineficaz e poderia gerar conflitos de interesse.

Haddad destacou o apoio do governo do presidente Joe Biden à medida proposta pelo Brasil, que atualmente preside o G20. Ele afirmou que os países membros do G20 precisam tratar a taxação dos super-ricos como uma prioridade nos próximos anos e concordou com a necessidade de um comunicado conjunto abordando três eixos: intercâmbio de dados entre os países, apoio técnico da OCDE e um prazo curto para implementação das medidas.

Além disso, Haddad alertou para a possibilidade de uma nova crise de endividamento global, especialmente após os gastos relacionados à pandemia de covid-19 e a alta da inflação. Ele enfatizou que a taxação dos mais ricos é essencial para reduzir a dívida e ampliar o espaço fiscal para políticas públicas contra a fome e a pobreza.

Durante a reunião de primavera do FMI e do Banco Mundial em Washington, Haddad participará de diversas atividades, incluindo uma segunda reunião ministerial do G20 e encontros bilaterais com autoridades financeiras de outros países.


Fonte: Artigo adaptado de Agência Brasil.

Compartilhar: